História da Paróquia

História da Paróquia

A cidade do Altinho tem sua origem na Antiga Fazenda “Nossa Senhora do Ó do Altinho Ribeira d’Una”, fundada pelo sesmeiro Capitão Antonio Vieira de Mello no final do século XVII. José Vieira de Mello (neto do fundador), nascido em 1737, tornou-se proprietário e administrador da dita Fazenda.

Sendo homem de larga visão e religiosidade, a 28 de julho de 1770, doou “meia légua de terra em quadra”, 20 novilhas e um reprodutor para fazer Patrimônio da Capela que erigiu em 1773.

A ocupação do terreno em torno da Capela para a construção de moradias e a “Estrada Geral” Garanhuns/Recife, via Fazenda Nossa Senhora do Ó, foram as alavancas propulsoras para o crescimento da Povoação que surgia.

O desenvolvimento foi tamanho que na primeira década do século XIX, a construção de um templo maior se tornou necessidade premente.
Em 1829, o Vigário Agostinho e Padre Couto (Capelão), junto com a comunidade local, deram início a construção da atual Igreja Matriz e, em 1837 com a Lei Provincial nº 45 foi criada a Paróquia de Nossa Senhora do Ó. Em 18 de fevereiro de 1854, foi enviado ao então Presidente da Província de Pernambuco, um “abaixo- assinado” com mais de 100 assinaturas de eleitores do Distrito, todos alfabetizados, solicitando a Emancipação Política. Só em 24 de abril de 1886, através da Lei Provincial nº 1863, foi criado o TERMO e o Município. A eleição para os membros da 1ª Câmara de Vereadores aconteceu em julho de 1886. Os eleitos foram diplomados e empossados em 7 de janeiro de 1887, pela Câmara de Caruaru.

A “Villa” do Altinho foi efetivada a categoria de Cidade na República, pela Lei Estadual nº 400, de 28 de junho de 1899.

A então Povoação do Altinho projetou-se na história nacional por ocasião da revolução dos Cabanos em 1831. Na madrugada de 02 de abril de 1833, os Cabanos se entrincheiraram nos alicerces da atual Matriz e abriram fogo contra o “Quartel General das tropas do Centro” localizado em um sobrado, atual esquina da Praça Júlio Rodrigues Filho, antiga Praça do Centenário, com a Rua Dr. Nestor Varejão.

Entre os filhos ilustres de Altinho, estão Dr. Epaminondas de Barros Correia (Barão de Contendas), Dr. Apolônio de Farias Sales, Ministro da Agricultura por duas vezes no governo Vargas e Senador por Pernambuco, Dr. Antonio Lins de Figueiredo, Chefe do Posto Municipal de Higiene e Prefeito, em 1939/1940 e Cel. João Ferreira de Moraes (Cel. João Veríssimo de Umbaúba), prefeito constitucional em 1892/1895.

Informações comprovadas pelos Documentos Oficiais no arquivo público de Pernambuco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.